Dados

Reamper Lab #1: DMP

Confira como foi o primeiro Reamper Lab, com Caio Ferro debatendo o tema DMP

Nosso laboratório de estreia trouxe o Diretor de Operações Caio Ferro na liderança do debate sobre DMP, plataformas de gerenciamento de dados.

As Data Management Plataforms (DMPs) juntamente com as plataformas de compra de mídia em tempo real (as DSPs ou Demand Side Platform) trazem uma forma mais inteligente e automatizada de se comprar mídia. Elas têm foco no comportamento do consumidor e usam algoritmos que realizam lances para compra de mídia de acordo com os objetivos de negócio da campanha e com o público que se deseja impactar.

Durante a conversa foram trazidas as experiências em se administrar IDs de cookies, a geração de perfis segmentados de audiência, implementação de tags nos sites, análise e design de audiências, e planejamento, ativação e manutenção de mídia. Cruzando dados de todos os canais de comunicação, com as DMPs é possível criar perfis holísticos dos consumidores, mais eficientes para as tomadas de decisão. Ela unifica todos os dados recebidos e entrega uma visão concentrada e única com base nas interações e experiência dos usuários com a marca.

Durante o lab foi comentado que essa plataforma centraliza alguns tipos de informações: os chamados dados de audiência:

 

First-party data, ou dados proprietários: são dados sobre seus clientes gerados através de seu site, plataformas sociais e aplicativos. Consistem em informações pessoais, como nomes, e-mails, endereços, números de telefone; informações demográficas, como idade e gênero; ou informações de comportamento, sempre limitadas, como as interações com o site, histórico de compra, interesses. Elas são, normalmente, colocadas em CRMs e são obtidas quase que de graça.

Second-party data, ou dados secundários: combinar dados proprietários com dados de terceiros não é novidade. Se pensarmos bem, os dados de terceiros são first-party data para as empresas que os detém e os vendem, não é mesmo? Ainda assim, surge no mercado o que alguns profissionais começam a chamar como second-party data. Na prática seria como se duas empresas com produtos complementares dividissem suas informações entre si para melhor combinarem seus negócios – como por exemplo uma empresa aérea e uma locadora de veículos. Ou como se uma fabricante multinacional de bens de consumo que possui websites diferentes para todo seu portfólio, compartilhasse a audiência de todos os sites entre si para melhorar o ad targeting de seus produtos.

Third-party data, ou dados de terceiros: são informações geradas de interações na internet como um todo, inclusive em outros websites. Este tipo de dado é usado para entender detalhes de cada usuário, como a quantidade de filhos, poder aquisitivo ou status matrimonial. São frequentemente utilizados para a criação de anúncios direcionados. Esses dados são entregue por ferramentas externas ao seu site; normalmente precisam ser comprados.

 

Nossa reunião de ideias quinzenal busca deixar-nos alinhados num cenário cada vez mais integrado de plataformas de compras de mídia, análise de comportamento do consumidor e de dados de audiência. Não perca o próximo Lab, e o vídeo que está sendo preparado das imersões.

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Início