Dados

Reamper Lab #8: Bots, Robert e a Inteligência Artificial

Nosso CTO Manu Santana explicou um pouco sobre inteligência artificial, seu futuro e como ela é trabalhada na Reamp

Na oitava edição do nosso Reamper Lab que aconteceu nessa sexta-feira (21/07), nosso CTO Manu Santana explicou um pouco mais sobre inteligência artificial, bots e como essas novas tecnologias são trabalhadas na Reamp.

A inteligência artificial está evoluindo e tende a crescer ainda mais no futuro. Mas engana-se aquele que pensa que a inteligência artificial é algo recente. Os primeiros trabalhos sobre o tema foram iniciados na década de 50.

No bate-papo, o especialista nos explicou que atualmente a AI possui CNNs (Convolutional Neural Networks), ou seja, redes neurais desenvolvidas para que a inteligência seja infinita e entenda informações externas. Essas redes conseguem gerar imagens neurais a partir de rabiscos, reconhecer imagens de pessoas, lugares e objetos, perceber emoções e até gerar obras de arte, resolvendo problemas de acordo com os inputs que recebem e o que entendem.

Estratégias como Big Data e Machine Learning cresceram muito com a inteligência artificial, e o método de Deep Learning teve seu “boom” no ano de 2016. Com ele, as máquinas são ensinadas com o máximo possível de linguagem natural, para que consigam ler um documento e responder sobre o que entenderam, por exemplo. Essas CNNs são capazes de resolver qualquer tipo de problema da maneira mais segura possível atualmente, podendo até mesmo dirigir um carro de maneira autônoma e que evita acidentes de maneira muito mais eficiente que humanos.

Para o especialista, o mercado já está mudando com a AI e a Reamp já está se preparando para essa nova realidade. “No futuro precisamos entender como utilizar essas AIs e trabalhar junto com elas”, ressalta Manu. Diferentemente do que muitos acham, o mundo e os humanos não serão dominado pelas máquinas. Eles vão sim ter um papel fundamental e amplo dentro da nossa sociedade, devendo inclusive eliminar algumas indústrias de mercado. No entanto, o modelo de trabalho humanos + máquinas é o que tem trazido melhores resultados até agora, e não algum deles separadamente (só humanos ou só máquinas).

Como é um mercado muito amplo e que envolve inclusive a sociedade como um todo, diversos tipos de discussão já estão em pauta, como a regulação de normas para a inteligência artificial. Muitas dessas discussões são lideradas por Bill Gates e Elon Musk.

Os chatbots, por exemplo, surgiram com a evolução da AI, que abriu caminhos como o Virtual Assistant. Esses robôs têm capacidade de entendimento muito próxima do ser humano e já estão presentes no dia a dia de usuários como a Siri, desenvolvida pela Apple, o Google Now e o Alexa, desenvolvido pela Amazon. Esses recursos de chatbots permitem que uma pessoa tire dúvidas ou pesquise sobre algum assunto por comando de voz.

A Reamp vêm desenvolvendo chatbots desde outubro de 2015 e suas funcionalidades estão sendo cada vez mais aprimoradas. Atualmente temos o robô Robert, projetado para prever performance de mídia usando Big Data, Machine Learning e técnicas como o Deep Learning. Algumas tarefas simples já podem ser automatizadas, e a ideia é conectar a Reamp com diversas interfaces de conversação, com conversas simples, mas que tenham capacidade de interpretações semânticas. Por padrão e opção, visto que algumas decisões envolvem custos, todos os trabalhos ainda precisam de confirmação humana.

Através da plataforma do Slack, já é possível a equipe conversar e solicitar algumas coisas para o Robert, como inclusão de novos formatos na plataforma, validação de métricas ou solicitar o envio de um relatório específico por email.

Portanto, para o especialista, os desafios que a Reamp enfrenta daqui para frente são em investimentos no time de P&D, desenvolvimento com o cliente e coleta de feedbacks para criar um produto que dê encaixe na rotina de mídia e adaptação à realidade nacional. Dessa maneira, poderemos cada vez mais implementar e trabalhar com a inteligência artificial em nosso dia a dia, automatizando nossos processos e tomando decisões e ações mais assertivas e escaláveis.

Valeu pela aula de hoje Manu!

 

 

 

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Início