Mídia

Reamper Lab #17 – Relação entre Pirâmide de Necessidades de Maslow e o Mobile

Recebemos Eduardo Carneiro, da comScore Brasil

No Reamper Lab dessa sexta-feira (06/10), recebemos Eduardo Carneiro, Enterprise Sales Director da comScore para uma análise sobre quais necessidades da Pirâmide de Maslow o mobile atende atualmente e como isso justifica a relevância dos dispositivos móveis.

De acordo com o especialista, hoje, a principal função da comScore é a construção de uma ponte entre o comprador e o vendedor de mídia, mensurando audiências de 172 países. “Existe hoje uma corrida maluca nesse mundo de pesquisa para que a gente consiga fazer uma mensuração cada vez mais granular e utilizando o mobile”, diz Eduardo, ressaltando a importância do mobile baseada em dados.

A mensuração digital realizada pela empresa é multiplataforma, possui cobertura global e seu principal negócio é a venda de informação. Para o especialista, sem uma base de comparação de resultados uma empresa nunca saberá se está indo bem ou mal. “A ideia é que a comScore use uma metodologia de comparar audiências dentro de uma única base”, explicou. Essas soluções de audiência permitem a análise de tendências do mercado, insights sobre a audiência e a performance dos publishers digitais.

Segundo Eduardo, é possível realizar uma mensuração em grande escala de dados digitais, e a empresa possui 2 milhões de desktops no mundo com o programa instalado. Porém, além do desktop, tornou-se possível mensurar plataformas de audiências como o mobile, onde podemos ver que o uso de internet pelo mobile e o mobile only são dois modelos que vêm crescendo consideravelmente no mundo todo, e diversos mercados estão migrando definitivamente para dispositivos móveis.

Em uma pesquisa realizada pela empresa com nove países para entender o uso do mobile, foi concluído que, no Brasil, o tempo gasto pelos usuários na internet em mobile chega a 72%. Segundo o especialista, por meio dessa análise de audiência, é possível, com uma única tag, obter dados como viewability, tráfego não-humano, brand safety, área geográfica (regiões do Brasil e 9 Estados, além do Distrito Federal) e informações como gênero, faixa etária, quantidade de pessoas em uma residência e presença de crianças nela.

Hoje, podemos ver a predominância de utilização de aplicativos pelo mobile, assim como a maior quantidade de jovens que utilizam essas plataformas. Porém, o crescimento em outras faixas etárias em relação ao desktop também é notável. Isso acontece pois, de acordo com o especialista, o mobile já começou a satisfazer várias necessidades da Pirâmide de Maslow. A pirâmide basicamente possui as realizações de necessidades mais básicas de todo ser humano, e são divididas em necessidades fisiológicas, de segurança, amor, estima e realização pessoal.

 

Pirâmide de Necessidades de Maslow e suas categorias

 

Hoje, de acordo com o especialista, o mobile pode suprir algumas necessidades de todos os níveis dessa pirâmide, e é possível comprovar esse fator por meio de diferentes análises de dados e de audiências:

  • Necessidades fisiológicas: Podem ser consideradas as mais básicas para a nossa sobrevivência, e o mobile já possui um grande espaço dentro da área de alimentos. É possível observar um crescimento na utilização do mobile para a compra de alimentos, seja online, por meio de aplicativo, entre outros.
  • Segurança/proteção: Notamos um grande aumento na compra de imóveis ou em lojas de varejo, e ao comparar o tempo gasto e quantidade de pessoas no desktop e no mobile, notamos que o alcance é maior no mobile. Em relação à segurança física, o mobile é muito utilizado por exemplo em aplicativos para consultar o clima, e também no setor bancário. Porém, podemos ver também que o tempo gasto no mobile dentro do e-commerce é enorme, chegando à praticamente 70%, enquanto o número de conversão ainda gira em torno de 20%. Com essa análise, é possível concluir que os usuários ainda possuem muita preocupação com a segurança, em ver detalhes do produto, problemas na navegação através de celular e falta de múltiplas telas para fazer comparativo de produtos.
  • Amor/relacionamento: Nessa camada temos o social, que é muito importante para os seres humanos. Os dados nessa categoria mostram que, no Brasil, a utilização de aplicativos de relacionamento, por exemplo, não é algo restrito aos jovens. Existe uma penetração significativa também de pessoas com mais de 35 anos nessas plataformas, e as duas faixas etárias possuem grande participação.
  • Estima: Atualmente, cada vez mais usuários estão em redes sociais também para possuir o sentimento de pertencimento e autoestima. Podemos notar a queda no uso de SMS e um crescimento de 8% em mensagens instantâneas, além de um considerável aumento de 123% de mensagens de vídeos, seja eles de notícias compartilhadas, Instagram, Snapchat, entre outros. O especialista ressaltou também que, dentro das redes sociais, não estamos mais tão preocupados em criar conteúdo, e sim em compartilhar informações. Aí está uma boa oportunidade para marcas que desejam criar conteúdo nas redes e aumentar seu alcance por compartilhamentos.
  • Auto realização: No topo da pirâmide, a categoria pode englobar assuntos como carreiras e viagens. Existe um crescimento substancial em aplicativos de viagem no mobile, principalmente entre os jovens.

Todos os dados coletados podem mostrar um grande crescimento no mobile e desaceleração no desktop. Para o especialista, esta é uma dica de como será o futuro e também importante de ser analisada pelo marketing digital.  “Anunciantes e agências podem ver por esses comparativos uma grande oportunidade de trabalhar melhor em algumas categorias. Assim, a gente pode ter uma base de comparação com outros países”, destaca Eduardo.

O bate-papo foi muito bacana e super descontraído, muito obrigada pela presença Eduardo!

 

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início