Estratégia

A revolução da Internet das Coisas

Objetos inteligentes são utilizados para automatizar processos e otimizar serviços, e crescerá ainda mais nos próximos anos

Estamos inseridos atualmente em um cenário onde a tecnologia tem um enorme impacto em nossas vidas. Ela está revolucionando a maneira com que nos comunicamos, realizamos atividades do dia a dia, consumimos produtos e serviços e até mesmo como nos relacionamos com outras pessoas. Por isso, cada vez mais, indústrias de todas as áreas estão se adaptando a essa nova realidade e investindo em recursos tecnológicos que automatizem seu trabalho.

Diversas tecnologias que eram consideradas “futuristas” há alguns anos atrás, hoje, já estão presentes em nossa rotina e são usadas para a otimização de serviços. A Internet das Coisas (IoT, da sigla em inglês Internet of Things), é um exemplo dessa evolução, e uma pesquisa realizada em 13 países pela operadora britânica Vodafone revelou que 29% das empresas pelo mundo já utilizam algum aparelho que possibilita a comunicação entre objetos e equipamentos pela internet.

A Internet das Coisas surgiu entre 2008 e 2009, em um momento onde a tecnologia já estava crescendo de maneira contínua. Por meio dela, é possível tornar objetos como carros e eletrodomésticos, inteligentes – o que significa que eles conseguem se conectar a uma rede online para passar e receber dados. Desde então, cada vez mais inovadora, a tecnologia permite que hoje qualquer coisa seja conectada com uma fonte de alimentação, e sua popularidade está trazendo vantagens significativas para as empresas.

O mesmo estudo realizado pela Vodafone mostrou que, das empresas que utilizam IoT, 47% afirmam ter dados mais precisos para tomada de decisões, 47% reduziram seus custos operacionais e 45% relatam o aumento da produtividade dos funcionários – sendo, esse último, o maior objetivo de 55% das respondentes.

 

Fonte: Folha de São Paulo

 

Internet das Coisas no dia a dia – e no marketing

O conceito da IoT nós já conhecemos. Mas como aplica-lo na nossa rotina e nas nossas atividades diárias? Será que isso é mesmo possível?

A resposta é sim! Hoje já podemos encontrar diversas possibilidades de uso dessa tecnologia, beneficiando desde a área de entretenimento e educação até a de esportes, saúde, segurança e automobilística.

Um dos casos mais famosos mundialmente do uso de IoT é a Amazon Echo, sistema de casa inteligente desenvolvido pela Amazon que trabalha por meio de uma assistente virtual. A assistente, Alexa, foi criada por meio de inteligência artificial e realiza tarefas rotineiras como pedir um táxi, ligar o ar condicionado, avisar a previsão do tempo, etc.

 

 

Outro exemplo já disponível é a Apple CarPlay, um sistema da Apple para carros, que permite que uma pessoa conecte o celular no sistema do veículo e todas as informações do iPhone são disponibilizadas no painel digital do carro. Dessa maneira, o motorista pode, por meio da Siri – assistente virtual da Apple – ou pelos botões do veículo, realizar ações do aparelho sem precisar utilizá-lo no trânsito.

 

 

Toda essa tecnologia tem como principal objetivo ajudar a otimizar o trabalho de seres humanos por meio de máquinas, e até mesmo no setor de alimentos, essa já é uma realidade que pode ser utilizada. Em entrevista para a Folha de São Paulo, Alexandre Martins, diretor industrial da Ofner, afirmou que a adoção de tecnologias IoT nas lojas em 2014 contribuiu significativamente para a redução de custos. A fim de evitar desperdício de produtos por causa do armazenamento, foram implantadas nas estufas e nas geladeiras das lojas e da fábrica da empresa sensores inteligentes que monitoram a umidade e a temperatura a cada 30 segundos. O que antes era feito manualmente por seres humanos, hoje, possui máquinas que tem o trabalho de controlar e identificar problemas no armazenamento para alertar a manutenção, e a redução de perdas mensais chegou a 15%.

Toda essa evolução já chegou também no marketing. A comunicação é sua principal via, e por isso, é necessário que profissionais da área estejam preparados para utilizarem as tecnologias que vão surgindo ao longo do tempo e acompanhando as mudanças nos hábitos das pessoas.

Hoje, estamos cada vez mais exigentes como consumidores em relação aos produtos e serviços que consumimos e às empresas que nos tornamos clientes. E é por esse motivo que, por meio das máquinas e de objetos inteligentes, o marketing pode se beneficiar da captura e análise de dados que permitam uma comunicação mais segmentada com cada consumidor. Além disso, aspectos como segurança e privacidade também serão facilitados por meio dessas tecnologias, ajudando a combater alguns dos maiores inimigos do marketing.

 

O que esperar do futuro?

Embora seu potencial pareça duvidoso em algumas áreas, cada vez mais, a Internet das Coisas mostra que veio para ficar – e crescer. De acordo com uma previsão da International Data Corp. (IDC), os gastos globais em IoT crescerão 14,6% em 2018, atingindo US $772,5 bilhões. A categoria manterá essa trajetória crescente e terá a taxa de crescimento anual de 14,4% até 2021, chegando na marca de trilhões de dólares em 2020.

Segundo o relatório, aplicativos, análises, plataformas e segurança são áreas que terão gastos com softwares para IoT no próximo ano, para a criação de uma base maior sobre a qual os aplicativos IoT podem ser utilizados.

Os números grandiosos nos mostram que não é mais necessário ter dúvidas em relação ao investimento na tecnologia em qualquer negócio. Nos próximos anos, os gastos e benefícios com a Internet das Coisas serão ainda maiores, e cabe aos profissionais das indústrias entenderem sua importância para melhorarem seus produtos e seus processos.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início