Estratégia

O que 2018 guarda para a luta contra a fraude de anúncios?

Alguns especialistas comentam o que esperam do próximo ano para o combate à fraude na publicidade

A batalha contra a fraude publicitária se intensificou em 2017, mas há muitos motivos para ser positivo sobre os desenvolvimentos que foram feitos na indústria. Em uma série de características que refletem no ano passado e olhando para o que podemos esperar em 2018, o ExchangeWire convidou mais de 100 líderes de pensamento de toda a indústria a compartilharem suas opiniões. Nessa edição da série, os especialistas preveem como a luta contra a fraude publicitária se desenvolverá no próximo ano.

 

A confiança do marketer precisa ser renovada

“2018 precisa ser o ano em que vemos uma redução notável de casos de fraude e tráfego não-humano. Em 2017, vimos o machine learning e a programática realmente fazendo headlines, mas nem sempre foi por boas razões. A indústria de propaganda teve sucesso quando a fraude publicitária se tornou uma questão pertinente, e surgiram questões sobre segurança e transparência da marca a nível nacional. Para o próximo ano, deve haver uma mudança positiva na batalha contra a fraude para renovar a confiança dos marketers em nossa indústria com uma atitude de “poder fazer”. Espero que o Reino Unido veja um número crescente de empresas se tornando credenciadas, e isso se tornará o must-have para fornecedores de fraude e plataformas de negociação. A fraude publicitária certamente será um tema em 2018, mas dessa vez, pelas razões certas”.

Mark Wrighton, VP EMEA, Impact Radius

 

Mais recursos dedicados à qualidade do inventário

“Alguns estudos, incluindo um recente da ANA, mostram que as perdas por fraude publicitária podem realmente começar a diminuir, uma vez que melhores proteções fazem com que o custo da fraude aumente para os golpistas. Uma vez que a proteção sofisticada da fraude se torna cada vez mais um custo de entrada, espero que os compradores possam dedicar mais recursos para otimizar proativamente a qualidade do inventário, a relevância e, em última instância, a atenção. Isso significa que o ambiente do anúncio pode se tornar uma verdadeira alavanca de otimização para compra programática e não apenas um desastre a ser evitado. “Humano e visível” são, obviamente, critérios essenciais para qualquer compra de anúncios, mas na verdade é um critério bem básico para uma marca anunciante”.

Amit Avner, CEO, TayKey

 

A fraude de atribuição será um ponto crítico na publicidade em aplicativos em dispositivos móveis

“Os temidos bots e as sofisticadas bot farms são pontos importantes a se ter em conta ao entrar em 2018. Com os avanços em IA, o jogo de gato e rato entre inovações de fraudadores e soluções anti-fraude continuará a evoluir. Os anunciantes precisão ter cuidado com os fraudadores que continuarão escorregando pelas brechas e sendo detectados somente após o ato. A fraude de atribuição também continuará a ser outro ponto crítico para o ecossistema de publicidade de aplicativos móveis, com fraudadores roubando atribuição de performance, abusando do fato de que o marketing de aplicativos para dispositivos móveis é quase todo negociado em “CPI” (custo por instalação). Decupar atribuição e incentivos, comprar inventário para o que for realmente valioso e utilizar multi-touch para entender o valor será o caminho para desincentivar fraudes de atribuição à medida que avançamos”.

Maor Sadra, Managing Director & CRO, AppLift

 

Marketers investirão mais em conhecimento, habilidades e ferramentas

“Em 2018, os comerciantes gastarão mais do que nunca na publicidade móvel – grande surpresa, certo? O que é assustador é que os comerciantes estão aceitando fraudes publicitárias como um “custo” ao fazer negócio e estão aumentando o gasto publicitário apesar da fraude. Os comerciantes frequentemente não sabem quais são os vários tipos de fraude ou de onde os maus elementos estão vindo, muito menos como pará-los. À medida que a publicidade móvel continua a evoluir e se torna mais sofisticada, a fraude também evolui. No próximo ano, veremos que os anunciantes e as agências investem mais na aquisição de conhecimentos, habilidades e ferramentas adequadas para combater a fraude em anúncios móveis, aumentando a capacidade de entende-la e minimizar seu impacto para que obtenham melhor desempenho em suas campanhas. O próximo ano será cheio de oportunidades excitantes para os marketers – especialmente com a chegada do iPhone X – e aqueles que estiverem mais aptos a combater fraude de anúncios em mobile possuem uma vantagem competitiva”.

Ran Avrahamy, VP Global Marketing, AppsFlyer

 

 

 

Anunciantes têm um papel na resolução de fraudes publicitárias

“A fraude de anúncios abalou a publicidade digital esse ano. Como a prevalência de técnicas como a falsificação de domínio continua a aumentar – o FT sozinho descobriu uma atividade fraudulenta custando £ 1M por mês – veremos que toda a indústria se unirá para resolver esses desafios no próximo ano. Enquanto os provedores de tecnologia de anúncios e os grupos de comércio da indústria – como o IAB com a iniciativa ads.txt – estão dando grandes passos para combater a fraude, os anunciantes também terão uma parte a desempenhar. À medida que as apostas aumentam – os vendedores preveem perder US$16,4 bilhões globalmente para atividades fraudulentas até o final do ano – eles se tornarão mais assertivos em suas demandas por melhores medidas de prevenção de fraude. Como os profissionais de marketing procuram aumentar o conhecimento de diferentes tipos de fraude – de bots até revenda de domínio não-autorizado – e entender as medidas necessárias para se manterem seguras, provedores de ad tech precisarão adaptar suas tecnologias e técnicas para essa demanda”.

Richard Kidd, VP, Head of Business Development, OpenX

 

A fraude em aplicativos móveis aumentará

“A fraude em anúncio se tornará penetrante em todo o ecossistema de custo por instalação móvel. Os fraudadores que visam o inventário de aplicativos aumentarão significativamente o nível de sofisticação e a quantidade de canais através dos quais eles cometeram fraudes em aplicativos e dispositivos conectados. Vimos um aumento na complexidade das táticas de fraudadores no final de 2017 e não veremos essa tendência diminuir tão cedo. Em 2018, veremos o aumento das farms de instalação de apps em massa, enquanto os marketers e os players da indústria, como o Google, entendem mais sobre o assunto, e tomam medidas para resolver a fraude de atribuição”.

David Sendroff, CEO, Forensiq

 

Haverá um ponto de reviravolta na luta contra a fraude

“2018 será o ponto de virada no combate à fraude no ecossistema programático. A simplicidade e a facilidade de implantação da solução ads.txt devem, possivelmente, conduzir uma adoção mais rápida pela comunidade de publishers e, portanto, fornecer um mecanismo fácil para comprar plataformas para identificar fontes de inventários falsas ou ilegítimas. O investimento em ferramentas e processos para erradicar a fraude se tornará “obrigatório” table stakes para DSPs que devem ser alinhados para garantir uma a legitimidade das oportunidades de publicidade que seus clientes gastam dólares de mídia para adquirir. Além disso, as forças do mercado que estipulam uma transparência cada vez maior, as repercussões de encontrar a si mesmo do lado errado de uma atividade fraudulenta (reputação e danos monetários por ter o nome manchado como um vendedor de inventário ilegítimo), e a responsabilidade compartilhada que todos os atores legítimos têm em limpar a cadeia de fornecedore deve limitar ainda mais as oportunidades dos fraudadores que extraem valor para fora  do ecossistema. de mídia.

Julian Baring, General Manager – North America, Adform

 

A proteção dos publishers está sendo deixada para trás

“Enquanto a indústria está começando a se concentrar em proteger os anunciantes de problemas como o tráfego suspeito, a proteção de publishers de criativos de publicidade suspeita está atrasada. As proteções atuais de criativos suspeitos incluem proteção contra adware e criativos que violam as diretrizes de usabilidade de um publisher, como o som automático onde o som não é permitido. Aproximadamente 40% dos criativos não cumprem essas diretrizes do site e 1-3% incluem adware. O boom de bloqueio de anúncios é uma das reações a esse fenômeno. Se não quisermos que os usuários bloqueiem nossos anúncios, devemos primeiro nos certificarmos de que eles estão configurados corretamente. A indústria está começando a formar organizações de auto-regulação para lutar contra criativos suspeitos, como CBA e LEAN – um primeiro passo importante. As limitações atuais são tecnológicas. Apenas um número limitado de empresas é capaz de filtrar anúncios suspeitos em tempo real no momento. Esperamos que essas tecnologias sejam mais amplamente adotadas em 2018”.

Oded Napchi, CMO, HIRO Media

 

Originalmente veiculada em ExchangeWire

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início