Dados

10 tendências no marketing digital para 2018

Confira algumas estratégias que prometem crescer ainda mais em 2018

O marketing digital é um mercado que vêm evoluindo ao longo dos anos, juntamente com os avanços da tecnologia e com as mudanças no comportamento dos consumidores. Com todas essas constantes transformações e uma quantidade enorme de dados de usuários que temos disponíveis, os profissionais da área estão sempre se adaptando às novidades para planejarem a melhor estratégia e alcançarem seu público-alvo no momento certo e no lugar certo.

Para que a audiência seja impactada da melhor maneira, é essencial que a empresa conheça seu público, suas preferências e, principalmente, saiba como se comunicar com ele e como não se tornar “apenas mais um” no meio de tantos produtos e serviços oferecidos. Por isso, separamos 10 tendências que sua empresa deve estar atenta e prometem crescer ainda mais em 2018. Confira quais são elas:

 

Influencer marketing

Não é de hoje que o Marketing boca-a-boca é uma estratégia que funciona. Na maioria das vezes, antes de realizarmos uma compra, procuramos por indicações de pessoas que conhecemos ou confiamos e que já tenham utilizado o produto ou serviço para saber sua opinião.

No entanto, com a internet, a quantidade de informações que temos acesso cresceu de uma maneira significativa e abriu espaço para um novo tipo de publicidade: o influencer marketing. A estratégia é utilizada por marcas para que o influenciador digital –  ou seja, uma pessoa que possui muitos seguidores fieis na internet – indique seus produtos e converse com o consumidor de uma maneira simples, fazendo com que as pessoas se interessem por determinado produto.

O investimento na área vem crescendo nos últimos anos e a tendência é que os digital influencers sejam cada vez mais aliados das marcas na hora de impactar o público. O engajamento da audiência nas redes sociais como Youtube, Instagram, Facebook e Twitter é essencial para a estratégia, e, de acordo com pesquisas realizadas em 2017, os micro influenciadores – usuários influentes com menos de 30 mil seguidores nas redes –, serão ainda mais eficientes e procurados pelas marcas que desejam promover seu nome.

O Bradesco, por exemplo, em parceria com a Publicis, criou uma campanha com a hashtag #maisumpasso, onde 104 micro influenciadores das mais diversas áreas – cultura, esporte, educação, família, inovação, etc – compartilharam nas suas redes sociais momentos e histórias onde precisaram seguir adiante mesmo com as dificuldades, juntamente com a hashtag escolhida pela empresa. Os resultados foram positivos, fazendo com que os usuários se identificassem com as histórias e com a campanha.

 

Post realizado por micro influenciadora na campanha #MaisUmPasso

 

Video Marketing

Conteúdos em formatos audiovisuais estão, cada vez mais, tomando conta também do mercado publicitário. Uma pesquisa da Cisco revelou que, até 2020, cerca de 82% do tráfego da internet será apenas em vídeos, e por isso, é fundamental que as empresas comecem a olhar para o impacto que esse formato causa na audiência, como o aumento no ranking dos mecanismos de pesquisa, no engajamento do público e nas taxas de tráfego do site, por exemplo.

Por esse motivo, podemos ver o crescimento no consumo de vídeos online e, consequentemente, de anúncios nesse formato. As marcas estão cada vez mais procurando oportunidades em plataformas como o Youtube, que possui mais de um bilhão de usuários ativos e permite que anúncios sejam veiculados antes dos vídeos. Já podemos ver diversos casos de sucesso de empresas que investem em anúncios nesse formato, e quanto mais cedo as marcas entenderem a importância de criarem um conteúdo em vídeo relevante, personalizado e criativo, mais cedo também suas campanhas terão maior visibilidade online.

 

Realidade virtual e realidade aumentada

À medida que a tecnologia se torna mais poderosa e os aplicativos em dispositivos móveis estão se integrando com a realidade virtual, marcas estão começando a utilizar mais desse recurso para a comunicação com os seus clientes. De acordo com relatório da Digi-Capital, a tecnologia promete movimentar cerca de US$ 108 bilhões até 2020, e a tendência é que seja cada vez mais utilizada no mercado de marketing digital devido as possibilidades de interação com o usuário que ela traz.

A realidade aumentada está mudando o mundo do mercado consumidor, já que as marcas estão entendendo como ela pode revolucionar e otimizar seu trabalho e estão adotando como estratégia, principalmente no setor de varejo.

Dentro do marketing, a realidade aumentada pode ser utilizada para ajudar na hora da tomada de decisão de compra de um cliente, oferecendo uma experiência interativa. A Topshop, por exemplo, criou um provador de roupas virtual que foi instalado em uma de suas lojas na Rússia e permitiu que clientes vissem como ficariam com determinada roupa sem precisar, de fato, vesti-la.

 

 

Chatbots

No cenário de crescimento da inteligência artificial que estamos inseridos, pudemos ver o surgimento de uma tecnologia voltada para a comunicação e atendimento dos clientes de maneira prática, simples e efetiva: os chatbots.

Esses robôs funcionam como “assistentes virtuais” e são utilizados com o objetivo de ajudar os clientes, oferecendo informações relevantes e de maneira rápida. Além disso, a tecnologia permite otimizar processos e tarefas de funcionários, que podem focar em outras atividades que demandam maior parte do tempo.

Diversas empresas já adotaram os chatbots como alternativa de atendimento online 24h disponível para seus clientes, e normalmente são utilizados em plataformas como Facebook Messenger, Slack, Telegram e SMS. Aqui na Reamp, por exemplo, temos a nossa própria interface de comunicação, que está em progresso e tende a aumentar cada vez mais suas funcionalidades, reduzindo trabalhos manuais e facilitando o trabalho de todas as áreas da empresa.

Os bots têm a vantagem de automatizar serviços e podem ser utilizados em todas as etapas do funil de vendas para ajudar o consumidor. Por isso, a tecnologia será uma tendência ainda maior em 2018 e ajudará a reduzir custos e tornar vendas e atendimento ao cliente processos mais eficientes.

 

Personalização de conteúdo e de anúncios

Marketing de conteúdo é uma estratégia já utilizada pela grande maioria das empresas que desejam se aproximar dos seus clientes oferecendo informações relevantes para eles. No entanto, hoje, existe tanto conteúdo publicado diariamente na internet que não temos como consumir tudo, e acabamos filtrando o que achamos mais importante. Por isso, é necessário que as empresas pensem em estratégias que façam com que seus conteúdos tenham visibilidade e alcancem o público certo, e uma delas (e talvez a mais importante) é a personalização.

Hoje em dia, é fundamental que uma empresa conheça seus clientes, seus hábitos de consumo, necessidades, preferências e desejos. Todas essas informações podem ser coletadas por meio de dados que os usuários disponibilizam na internet, que são analisados pelas marcas na hora de segmentar um anúncio ou um conteúdo.

Quanto mais direcionado for um conteúdo ou um anúncio e quanto mais o cliente sentir que ele não é “apenas mais um” na hora de ser impactado, melhor será sua percepção e relacionamento com a empresa. No marketing one to one, como é chamado, não é preciso mostrar tudo para todo mundo, mas mostrar para quem tem interesse – para isso, é necessário impactar menos pessoas, com um custo menor, mas de uma maneira muito mais eficiente e de qualidade.

 

Experiência e engajamento do consumidor

Proporcionar uma boa experiência ao consumidor na hora da compra e no relacionamento com a marca é essencial e sempre foi considerado um must-do. No entanto, com a grande quantidade de informações de compras, sites e redes sociais que temos disponíveis hoje em dia, tornou-se ainda mais importante criar uma conexão com o público-alvo e estar sempre presente onde ele está no mundo digital.

O engajamento do consumidor com a sua marca é fundamental, portanto, investir em estratégias que facilitem essa comunicação como marketing de conteúdo, chatbots, redes sociais e anúncios personalizados é cada vez mais necessário. Interagir com o público em sites como Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram, por exemplo, é uma estratégia amplamente adotada por grandes empresas e que têm funcionado na hora de criar um relacionamento mais próximo com a audiência.

A régua de relacionamento – como é chamada a estratégia de manter contato contínuo com os clientes –  pode ser utilizada em todas as fases da jornada do consumidor, e é importante para marcas que desejam chamar a atenção do seu público e fazer com que o usuário sinta-se realmente lembrado.

 

 

Buscas por voz

Apesar de ainda não ser um diferencial das empresas, de acordo com o Google, a quantidade de buscas realizadas por voz já chega a 20% e a tendência é que esse número aumente em 2018. Diversos dispositivos controlados por voz como a Siri, da Apple, a Alexa da Amazon e o Google Home tornaram-se ainda mais populares no último ano, e permitem obter dados dos consumidores que não poderiam ser obtidos antes.

 

 

Apesar de ser uma tecnologia relativamente nova, ela veio para ficar. Cada vez mais, as marcas estão descobrindo novas possibilidades de marketing em interfaces de conversação, e algumas já criaram interações. A BuzzFeed News, por exemplo, lançou recentemente o “Reporting To You”, uma plataforma para usuários da Alexa que obtém diariamente uma atualização em áudio com as notícias mais importantes do dia.

 

Análise de dados e audiências

Graças ao mundo conectado de hoje, as empresas têm acesso à grandes quantidades de dados do consumidor. Sempre que os consumidores fazem uma compra, usam redes sociais, solicitam um carro através de um aplicativo de carona compartilhada ou interagem com o Google Home, a empresa do outro lado está coletando suas informações demográficas e comportamentais.

No entanto, é importante que os profissionais de marketing entendam que nem todos os dados são criados igualmente e nem todos têm o mesmo valor. Avaliar a qualidade de dados do público é essencial para estratégias que pretendem segmentar e impactar a audiência correta.

Uma plataforma de gerenciamento de dados (ou DMP) pode ajudar os anunciantes a entenderem melhor seu público, quais são seus principais interesses e utilizar essas informações no planejamento de ações, campanhas e conteúdos. A partir do momento que a marca entende as preferências do seu público e analisa seu histórico de compras por meio de coleta de dados, é possível segmentá-lo em clusters ou audiências de acordo com o perfil de cada um.

Isso pode acontecer de diferentes formas, como dividir os consumidores geograficamente, por hábitos de consumo, interesses, idades, etc. Diversas marcas têm apostado na utilização de dados de clientes como uma de suas principais estratégias para entenderem melhor seus consumidores e diferenciarem-se de seus concorrentes.

 

Inteligência artificial e automação de processos

Estamos inseridos na era da tecnologia, e a inteligência artificial vêm evoluindo cada vez mais e revolucionando diversas indústrias, inclusive a do marketing digital. Grandes marcas e empresas estão adotando estratégias que incorporam a inteligência artificial para automação e otimização dos seus serviços, e tornou-se mais importante do que nunca considerar integrá-la ao seu negócio.

Diversas tecnologias de inteligência artificial como internet das coisas, chatbots e machine learning já são utilizadas no dia a dia de muitas marcas. Empresas como a Forbes, por exemplo, utilizam robôs para gerar notícias de seus resultados financeiros por meio de ferramentas que geram conteúdos que seguem templates como anúncios e comentários sobre o assunto. Já a Starbucks, aproveita a tecnologia de assistente virtual para agilizar o pedido dos seus clientes.

Incorporar AI em sua estratégia de marketing é uma tendência que crescerá nos próximos anos e pode ser considerado uma estratégia inteligente. Cada vez mais, estaremos entrando em um cenário onde a tecnologia está presente e predominante em todas as nossas atividades, e por isso, é importante que as empresas estejam atentas e se adaptem à essa realidade.

 

 

Mobile e localização em tempo real

Hoje em dia, os usuários online procuram sempre por respostas imediatas que solucionem seus problemas da maneira mais rápida e simples possível. Graças à tecnologia, podemos realizar buscas na internet e até mesmo tomar decisões de compra no ambiente digital, e os dispositivos móveis aumentam ainda mais a necessidade das empresas migrarem para o online.

Uma pesquisa realizada pela consultoria Provokers para o Google Brasil mostrou que 79% dos usuários de smartphones esperam obter informações imediatas quando usam o aparelho para procurar informações na internet. O hábito de sentar em frente a um computador para realizar uma busca online deixou de ser algo tão comum, dando espaço para as interações mais rápidas nos dispositivos móveis.

O número de usuários com smartphones cresceu significativamente nos últimos anos, e a tendência é que exista cada vez mais engajamento através de tráfego mobile. Além disso, é notável o crescimento do location-based marketing, ou seja, estratégia baseada na geolocalização de um dispositivo móvel para impactar o usuário e oferecer algum produto ou serviço que esteja disponível perto de sua localização em tempo real.

Estamos cada vez mais esperando por resultados imediatos, portanto, já está mais do que na hora de adotar estratégias que podem ajudar a conquistar o sucesso nos próximos anos. Sua empresa já está investindo em alguma dessas tendências?

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início