Estratégia

Agile Marketing: o que você precisa saber sobre essa nova metodologia

Estratégia é utilizada para aumentar a produtividade de equipes de marketing e otimizar resultados

Trabalhar com marketing digital não é uma tarefa fácil. Dentro deste universo, existem diversos canais, estratégias, relatórios e ferramentas que são utilizadas no dia a dia de um profissional da área, e para dar conta de todas elas, é necessário gerenciar a equipe de marketing para aumentar sua produtividade e, consequentemente, sua visibilidade.

A evolução da tecnologia faz com que novas estratégias apareçam e a pressão de tempo aumente. É necessário que uma empresa acompanhe as tendências do momento e esteja sempre ligada às novidades do mercado. Estamos inseridos em um cenário onde o marketing precisa se adaptar às redes sociais, automações de processos, conteúdo e inúmeras estratégias. Por isso, é importante recorrer a um planejamento que ajude a estruturar melhor o que será feito em relação a todas as demandas.

Adotar uma abordagem de marketing impactante que esteja dentro do orçamento é o que todo empresário quer. No entanto, as empresas tendem a limitar-se a estratégias convencionais de marketing que dificilmente funcionam e trazem valor para o negócio. Hoje podemos ver inúmeras abordagens, mas o agile marketing vem se destacando cada vez mais entre todas elas.

 

Mas o que é o “marketing ágil”?

Tradicionalmente, o marketing costuma trabalhar com planejamento de médio a longo prazo, com ciclos de seis a 12 meses. Diversas métricas são determinadas ao longo desse período, no entanto, nem sempre o planejamento sai como o esperado e não é possível realizar todas as tarefas que as equipes precisam.

Pensando nisso, as empresas começaram a adotar a estratégia de agile marketing, ou seja, uma forma de trabalhar que ajuda na produtividade e na otimização de resultados. Basicamente, a metodologia é derivada do desenvolvimento de software ágil e possui valores úteis para o marketing.

 

Fonte: 3 Web Ninjas

 

Em outras palavras, o agile marketing consiste em dividir um problema em tarefas menores, que são realizadas em ciclos (conhecidos como sprints), e utiliza uma abordagem interativa e incremental. De acordo com um dos criadores do Scrum, Jeff Sutherland, é a “arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo”. Ou seja, um bom planejamento e flexibilidade são duas características essenciais para que o marketing seja realizado da melhor maneira possível.

 

Fonte: Resultados Digitais

 

O marketing ágil diferencia-se do tradicional pois antecipa desafios e responde às mudanças. Normalmente, as abordagens tradicionais se concentram no estabelecimento de planos detalhados que podem ser demorados, além de não preverem desafios e geralmente estão sobrecarregados durante uma crise. O marketing ágil, por outro lado, acentua a necessidade de um plano simples a curto prazo, principalmente porque eles são mais fáceis de serem ajustados e de se adaptarem às mudanças. Além disso, ele permite identificar problemas ou necessidades antes, o que possibilita uma mudança de rota ou estratégia se algo não ocorre conforme o esperado.

 

Porque adotar o agile marketing como estratégia?

O marketing é um campo cheio de desafios para se trabalhar. Dados de 2017 do Market Stress Report do Workfront mostram que profissionais se sentem frustrados com fatores como: provar seu valor paras as pessoas que não entendem o que você faz (55%); organizam todo seu trabalho de 40 horas em uma semana (51%), não possuem ideias excelentes de marketing (42%), constantemente precisam administrar crises (36%), entre outros fatores. A boa notícia é que o marketing ágil pode ajudar a resolver esses problemas!

De acordo com a Agile Sherpas, inúmeros benefícios podem ser vistos ao utilizar o agile marketing, como a capacidade de gerenciar mudanças de prioridades, aumento da produtividade da equipe, melhor visibilidade do projeto, entre outras.

 

Fonte: Agile Sherpas

 

O termo, que foi emprestado das chamadas metodologias ágeis – utilizadas pelo setor de desenvolvimento de software – é baseado em quatro principais ideais:

  • Indivíduos e interações são mais importantes do que processos e ferramentas;
  • Estratégias que funcionam são mais relevantes do que uma documentação abrangente;
  • Colaborar com o cliente vale mais do que negociar contratos;
  • Responder a mudanças é melhor do que seguir um plano.

De acordo com o Marketing de Conteúdo, os 12 princípios do manifesto ágil, adaptados para a realidade do marketing, incluem:

  • A prioridade é satisfazer o cliente – sua boa experiência é essencial durante toda a campanha para que bons resultados sejam alcançados;
  • Mudanças de requisitos fazem parte do jogo – ou seja, mudanças em uma estratégia de marketing podem acontecer e dependem de vários fatores, como baixo desempenho;
  • É preciso entregar valor com frequência – a melhor forma de fazer isso é por meio de conteúdo relevante;
  • Unir competências é essencial – colaboração interna entre a equipe é fundamental para que os resultados sejam positivos;
  • Equipes motivadas rendem mais – quando a equipe se sente motivada, o impacto é instantâneo na produtividade do trabalho;
  • A comunicação deve ser clara e aberta;
  • Estratégias funcionais superam planos detalhados – ou seja, estratégias que podem ser colocadas em prática ao longo do caminho e não dependem de todos os detalhes definidos tendem a ser melhores;
  • Processos ágeis são sustentáveis;
  • Atenção a excelência técnica aumenta a agilidade;
  • Simplicidade reduz desperdícios – quanto mais simples forem os processos, menor o índice de desperdícios, seja de tempo, dinheiro ou de energia;
  • Times auto-organizáveis projetam melhores experiências;
  • Nada melhora sem avaliação de desempenho – tudo que for feito precisa passar por uma avaliação constante e acompanhamento de métricas.

Utilizar o agile marketing traz benefícios importantes para o marketing de uma empresa. De acordo com o Moz, empresas ganham cerca de 30% a 40% a mais com eles, além de permitir que as empresas se adaptem às mudanças que acontecem na tecnologia e na área de marketing e tenham uma comunicação aprimorada.

 

Como é feito o agile marketing?

O marketing ágil concentra-se em interações rápidas, e não em campanhas baseadas em longo prazo. No entanto, primeiro prova o que funciona antes de sua implementação. Aprender o que funciona e o que não funciona é a coisa mais importante no marketing ágil. Ao fazer isso, os comerciantes usam mais dinheiro em campanhas que funcionam e melhoram o que funcionará no futuro.

No geral, o método utilizado para implementar a estratégia é o Scrum – ou seja, uma metodologia capaz de aumentar a velocidade e a qualidade de um produto. Quatro etapas acontecem durante esse processo e são cíclicas:

Planejamento de Sprint > Sprint e scrums > avaliação do Sprint > retrospectiva do Sprint

Sprint é um ciclo de desenvolvimento, onde cada equipe seleciona a funcionalidade que irá desenvolver e se concentra nela durante um tempo determinado. Assim, é possível analisar como o processo está indo e antecipar possíveis problemas. No final do dia, a equipe apresenta seu trabalho e uma avaliação de Sprint, podendo partir para o próximo item do ciclo.

Os times ágeis de marketing devem ser multifuncionais, ou seja, devem ter as habilidades necessárias para que todas as tarefas sejam cumpridas rapidamente e com qualidade.

 

Fonte: Resultados Digitais

 

O time, que geralmente possui de 3 a 9 pessoas, conta com o Scrum master, ou seja, o treinador do time responsável por garantir que o trabalho flua e o product owner, que é o representante do cliente responsável por priorizar as atividades de cada ciclo.

Por meio de reuniões diárias, é sempre importante lembrar que o cliente deve estar em primeiro lugar, e o trabalho deve ser otimizado para suas necessidades. Ser ágil não é a mesma coisa que fazer um trabalho ágil. Ser ágil representa uma mudança cultural em toda a empresa para uma mentalidade rápida, bem como mudanças na forma que os funcionários são gerenciados, motivados, treinados e contratados.

Fonte: Agile Marketing

 

As seis etapas do Agile Marketing

O agile marketing não deve se basear apenas no Sprint e nem ser visto como uma “maratona”. Trata-se de uma estratégia que deve ser praticada todos os dias, e ao longo do tempo, com compromisso e consistência, os benefícios começam a aumentar.

Existem seis aspectos no agile marketing que são essenciais para o seu funcionamento. Caso algum deles não seja realizado, seu negócio não estará aproveitando tudo que a estratégia oferece como benefício. Claro, isso não significa que logo no início do seu trabalho de agile marketing você precisa utilizar todos eles. Assim como um exercício físico, você deve começar gradualmente, baseando-se nos aspectos mais fáceis antes, para que seja mais fácil contornar as dificuldades. As seis etapas são:

  • Gerenciamento de processos: qual processo você usa para gerar conteúdo? Qual é o processo de agendamento, criação, hospedagem e acompanhamento de um webinar? Como funciona a criação de um conteúdo para o blog? Muitos profissionais de marketing não possuem esses processos documentados ou seguem rigorosamente algum deles. Geralmente, esses processos existem na cabeça das pessoas, e quando novas entram, são treinadas por elas. Também é verdade que muitas vezes não os analisamos para entender quais etapas não estão agregando valor e quais podem ser mais utilizadas. Por isso, é essencial que no agile marketing uma organização seja feita e que processos sejam documentados para um melhor gerenciamento. Dessa maneira, é possível acabar com o desperdício e melhorar a qualidade, otimizando o trabalho de todos os profissionais da área;
  • Colaboração: um dos maiores problemas no marketing é a falta de colaboração, que aparece de duas maneiras – a primeira ocorre durante as transferências, quando uma equipe responsável por parte de um processo entrega para a próxima equipe um trabalho incompleto devido a prazos urgentes; a segunda falha acontece na otimização de um passo no processo. Por exemplo, digamos que otimizamos o processo de desenvolvimento criativo, levando-o de 10 dias úteis para 3, mas observamos que as taxas de conversão para esses criativos mais eficientes caíram pela metade. Isso acaba com todo o propósito. Praticar marketing ágil exige uma maior colaboração, e isso pode acontecer por meio de políticas de processo e equipes multifuncionais, por exemplo. Além disso, muitas vezes acabamos otimizando demais, pensando que todos precisam trabalhar 100% da sua capacidade em 100% do tempo. Problemas surgem quando essas equipes ficam sobrecarregadas, causando desperdício de tempo e energia.
  • Alinhamento: Se melhoramos o nosso gerenciamento de processos e a colaboração até o ponto onde o rendimento melhora, é preciso também procurar um alinhamento. Não faz sentido ser muito eficiente mas não ter tudo alinhado, gerando entregas que não produzem resultados. É importante fazer se perguntar: estamos alinhados com os temas e objetivos estratégicos do resto da empresa? Estamos entregando valor real ao cliente final? O agile marketing exige que ambas as perguntas sejam positivas.
  • Melhoria contínua: o mais rápido e produtivo que podemos repetir através o looping de feedback de construção – mensuração – aprendizado, é mais provável que a empresa tenha sucesso. O agile marketing exige um processo de melhoria contínua, obtendo marketing aos clientes rapidamente, medindo seu impacto e aprendendo o que funciona e o que não funciona, para assim, ajustar o processo e melhorar sua eficácia. Em outras palavras, você não conseguirá o resultado perfeito pela primeira vez, então procure a perfeição através do planejamento. Saia, faça, e aprenda fazendo.
  • Adaptando-se à mudanças: equipes ágeis precisam reagir rapidamente aos eventos prejudiciais que podem ocorrer e aproveitar as oportunidades do mercado. Para isso, é preciso decidir sobre o processo de tomada de decisão antecipadamente, para que ele ocorra da maneira mais rápida possível. Adaptar-se à mudanças também requer a capacidade de se adaptar ao mercado, as mudanças na economia e na tecnologia ou modelos de negócios. As melhores práticas incluem a seleção de pessoas que têm habilidade de entender mudanças de longo prazo no mercado e a paisagem competitiva e dar-lhes tempo para fazer esse trabalho, bem como realizar sessões de planejamento estratégico trimestral.
  • Criando experiências notáveis ao cliente: estamos entrando em uma nova era do marketing, onde os compradores valorizam experiências memoráveis e valiosas. Essas experiências “notáveis” significam que são inspiradoras, mas também as pessoas sentem necessidade de comentar sobre elas ou compartilhá-las. Desenvolver a disciplina de criação de experiências notáveis nos clientes pode ser difícil. Exige que os comerciantes não sejam apenas os administradores da marca, mas também administradores da experiência do cliente. Isso requer um alinhamento próximo com o grupo de produtos e uma compreensão profunda de como as experiências irão ressoar com os clientes.
  • Mudança cultural: além de dominar as seis disciplinas, o agile marketing exige algumas mudanças na cultura da maioria das organizações. A mudança cultural mais importante é o empoderamento. As equipes precisam ser capacitadas para tomar decisões com base em dados e se auto organizarem, em vez de esperar pela aprovação da alta administração para cada decisão.

 

Fonte: Agile Marketing

 

As seis disciplinas do Agile Marketing não precisam ser aprendidas de maneira sequencial, no sentido horário, como mostrado no diagrama. Mas elas tendem a construir umas sobre as outras, e por isso é útil que elas sejam aprendidas em ordem. Além disso, voce não termina de aprender uma habilidade e deve passar para a próxima. Assim como nos exercícios físicos, você sempre pode melhorar e, se negligenciar na prática de uma delas por determinado período de tempo, você precisará praticar para recuperar a fluência total.

 

Agile marketing x Marketing tradicional: quais são as principais diferenças?

Enquanto o marketing tradicional investe em estratégias já utilizadas e indicadas por especialistas, o agile marketing vêm investindo em estratégias menores, para que os resultados sejam mensurados antes de fazer investimentos maiores.

  • O marketing tradicional costuma confiar suas estratégias na indicação e cases de sucesso, enquanto o agile marketing prefere trabalhar apenas com resultados mensurados, testados e confirmados que podem trazer respostas positivas para o marketing;
  • O agile marketing prioriza a comunicação de nicho, a partir de informações e dados recolhidos de maneira minuciosa sobre cada um dos perfis dos clientes, ao invés da comunicação de massa do marketing tradicional;
  • Em um ambiente onde as pessoas buscam se identificar com as marcas e produtos que consomem, é importante que os clientes sejam tratados de maneira mais impessoal. É preciso ter uma postura transparente para que seu engajamento seja ainda maior, ao invés de apenas “comunicados oficiais” para todos os clientes.
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início