Artigos Reamp

Especial marketing de conteúdo: como fazer uma boa estratégia?

No nosso segundo dia de especial, explicamos o que é necessário para planejar, executar e mensurar uma estratégia de marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo não é nada sem uma boa estratégia, já que produzir conteúdo relevante exige cuidado e estudos. Para isso, são necessárias três etapas durante a sua construção: planejamento, execução e mensuração.

Mas como funciona cada uma delas? É sobre isso que vamos falar hoje, no nosso segundo dia de especial sobre marketing de conteúdo!

 

Planejamento

Assim como situações do nosso dia a dia, para uma estratégia de marketing funcionar, começar com o seu planejamento é essencial. Por isso, é importante seguir algumas dicas nessa etapa:

1. Trace seus objetivos e métricas:

O primeiro passo é saber quais objetivos sua empresa deseja alcançar com o marketing de conteúdo, como mensurar resultados, quais canais serão utilizados para atingir o público e quem é, de fato, a audiência que quer atingir. A partir dos benefícios que o marketing de conteúdo pode trazer e que foram citados anteriormente no primeiro dia do nosso especial, entenda as necessidades dos seus clientes e trace seus objetivos.

Além disso, defina seus KPI’s (Key Performance Indicators), que vão te dizer, mais para frente, se você está no caminho certo. Existem diversas métricas que podem ser facilmente mensuráveis. Para saber se o seu marketing está gerando o resultado esperado de consciência de marca, por exemplo, a empresa pode analisar o seu engajamento nas redes sociais (como curtidas, compartilhamentos e comentários em um post), visualizações no Youtube, número de acessos no site, taxa de rejeição, entre outras métricas que podem dizer, com maior precisão, o que pode ser otimizado e o que deve continuar sendo feito.

2. Defina suas personas:

Apenas números não são interessantes para bons resultados. Você precisa saber quem deseja atrair para o seu site, e por isso, a definição de personas é muito importante.

Mas o que são as personas?

A persona é um alguém fictício que representa o seu cliente ideal.  Ela se baseia em dados reais, tem histórias e comportamentos, assim como objetivos, motivações…

Ah! Então, persona e público alvo são a mesma coisa, certo? ERRADO. Existem exemplos que, na prática, podemos entender melhor e com mais clareza as diferenças entre um e outro:

  • Como definimos um público-alvo: Homens e mulheres de 25 a 35 anos, solteiros, com graduação em publicidade, renda média de 3000 reais. Querem se capacitar profissionalmente para conseguirem um aumento.
  • Como definimos uma persona: Bruno tem 25 anos, formado em Publicidade e Propaganda, pensa em se desenvolver profissionalmente através de uma pós-graduação no exterior para que tenha base para exigir um salário maior. É solteiro e quer viver uma experiência no exterior, pois sempre teve esse sonho e acrescentará no seu currículo. Procura uma agência que o ajude a encontrar uma instituição nos Estados Unidos que aceitem alunos estrangeiros.

 

 

Entende o porquê de separarmos as duas definições? O público-alvo é mais abrangente e trata dos clientes de uma maneira geral.  Enquanto a persona tem nome, características, pode inclusive ter uma foto para se tornar mais real.

Em um primeiro momento, as duas coisas podem parecer a mesma coisa, mas em uma estratégia bem fundamentada, saber diferenciar é essencial para que você consiga atingir o seu público de maneira bem específica, falando com a pessoa certa e, tendo assim, mais chances de conversão!

3. Lembre-se sempre do funil de vendas:

O funil de vendas, nada mais é, do que você criar o conteúdo exato para o momento exato da jornada do seu consumidor. A representação do funil é extremamente importante, pois ilustra com mais precisão em que etapa o seu possível cliente se encontra, e quais serão as ações que você precisará tomar para que ele avance com o marketing de conteúdo. Suas fases são:

  • Topo do funil: Etapa da descoberta, onde o usuário ainda não sabe que tem um problema e nem que precisa de algum produto. Por isso, o objetivo é mostrar ao possível cliente que ele pode ter uma necessidade dentro do seu negócio. Nesse momento é necessário, principalmente, oferecer conteúdo de qualidade. Esse conteúdo não deve ser publicitário ou oferecer nenhum tipo de produto, e sim informação;
  • Meio Do Funil: Aqui estamos na etapa de reconhecimento e consideração. Nesse momento, o usuário já descobriu que tem uma necessidade dentro do que você pode oferecer, mas ainda não tem certeza sobre o seu produto… Por isso, o seu conteúdo precisa informar, mas com foco em solucionar o problema. Precisa mostrar que você pode ajudar e que o seu negócio é a melhor opção para o usuário.
  • Fundo Do Funil: Agora já estamos na etapa de decisão. É aqui que o usuário vai decidir se optará pelo seu produto ou não, e todo o trabalho do funil se converte em venda. Seu conteúdo, nesse momento, deve ser voltado principalmente para a sua empresa e seu negócio, de maneira que o cliente entenda melhor sobre a marca e queira escolher ela. Depoimentos e cases de clientes são ótimas opções, pois mostram o contentamento de outras pessoas que optaram pela sua empresa.

 

Fonte: Bing Ads

 

4. Em quais canais de comunicação devo estar?

Agora que seus objetivos foram definidos, você definiu sua persona e já tem seu conteúdo para o funil de vendas, vamos decidir como e por onde você atingirá o seu público. É importante dizer que nem todo conteúdo cabe em qualquer canal.

Na hora de escolher aonde você distribuirá o seu conteúdo, lembre-se de que você não precisa estar em todos os meios de comunicação.  Escolha canais onde sua persona está, e onde você possa se dedicar a mantê-lo sempre bem organizado e atualizado.

Alguns dos mais conhecidos canais são blogs, redes sociais, vídeos, ebooks, templates, whitepapers, e-mail, entre outros. Certifique-se de que sua audiência se encontra em determinado canal e que ele terá o engajamento esperado. Tenha em mente que, nem sempre, os conteúdos de determinado canal devem ser os mesmos do que outros. Pense nas necessidades e preferências da sua audiência e elabore estratégias para se comunicar com ela em cada um dos meios.

 

Execução

Depois de planejar todo o seu conteúdo, finalmente chegou a hora de coloca-lo em prática! É importante que, nesta etapa, o planejamento seja seguido. No entanto, podem ocorrer algumas mudanças para que o objetivo final seja alcançado.

Sabemos que nem sempre é fácil realizar um conteúdo relevante. O processo exige tempo e dedicação dos profissionais de marketing, e para que ele seja realizado da melhor maneira possível, algumas dicas podem ser levadas em conta, como por exemplo:

  • Escolha de palavras-chave relevantes que ajudem na posição de SEO (Search Engine Optimization) do site;
  • Tamanho e formato do conteúdo, que deve ser pensado de maneira que agregue valor ao leitor e ofereça a maior quantidade possível de informações;
  • Revisão de texto antes de postá-lo é essencial, para que detalhes não sejam esquecidos;
  • Divulgação do conteúdo por meio de buscadores, redes sociais, sites e e-mail marketing.

Para que sejam gerados cada vez mais leads, ou seja, pessoas interessadas no seu conteúdo a ponto de oferecerem dados como e-mail e telefone para recebe-lo, é importante conhecer o seu público e saber, exatamente, quais são as suas preferências.

Apesar de não ser, necessariamente, uma etapa do funil de vendas, a nutrição de clientes após uma conversão com conteúdo de qualidade é essencial para que, futuramente, ele volte a fazer compras com a sua empresa. Com o marketing de conteúdo, esse relacionamento com os usuários é criado de maneira personalizada, de acordo com as necessidades de cada cliente.

 

 

Mensuração

Chegou a hora de, finalmente, descobrir se a sua estratégia está gerando resultados positivos – ou não! E é por meio da mensuração que conseguimos descobrir o que pode ser otimizado, o que está funcionando e quais podem ser os próximos passos no marketing de conteúdo.

No marketing digital, podemos acompanhar as métricas em tempo real e, por isso, conseguimos alterar rapidamente uma estratégia que não está funcionando, por exemplo. São incontáveis os KPIs que temos para mensurar algum resultado. Não olhar métrica nenhuma pode ser considerado um “tiro no pé”, da mesma forma que olhar métricas demais também pode lhe trazer problemas. Então, atenção! É importante que seus indicadores te tragam as informações necessárias e uteis para que você as converta em ações que acrescentaram ao seu site.

Mas afinal, quais são essas métricas e com qual frequência devemos utilizá-las?

Essa resposta depende muito do que será mensurado. Alguns dados devem ser medidos diariamente, outros mensalmente e outros podem ser, até mesmo, semestrais. Por isso é importante conhecer exatamente as suas métricas e para que elas servem, e algumas das mais comuns no marketing de conteúdo são, de acordo com o site Marketing de Conteúdo:

  • Métricas de consumo: mostram quando, onde e qual tipo de conteúdo está sendo consumido. Algumas delas são, por exemplo, o número de visitas em uma página do blog, visitas únicas, tempo gasto na página, abertura de e-mail marketing, cliques em e-mail, downloads ou formulários preenchidos;
  • Métricas de retenção: permitem analisar a capacidade de um conteúdo prender a atenção do usuário em métricas como taxa de retorno, taxa de rejeição, páginas por visita, frequência de visitas na página, taxa de descadastro no e-mail, número de seguidores nas redes sociais;
  • Métricas de compartilhamento e engajamento: a partir delas, a empresa pode analisar se está produzindo o conteúdo que o público quer consumir. Métricas como compartilhamento e curtidas nas redes sociais ajudam a fazer essa mensuração, assim como comentários e duração da sessão em uma página;
  • Métricas de venda: mostram se o conteúdo está influenciando nas vendas e se a conversão está sendo feita a partir do funil;
  • Métricas de custo e de produção também ajudam a controlar a eficiência de um post;
  • ROI: As métricas de ROI, ou seja, do Retorno sobre Investimento, permite que a estratégia mensure a eficiência de um investimento. Para calcular este resultado, deve ser feito:

 

Fonte: Marketing de Conteúdo

 

Assim, será gerado determinado valor que permite analisar objetivos mais concretos.

As três etapas citadas acima, de maneira geral, conseguem resumir os principais passos necessários para que uma boa estratégia de marketing de conteúdo seja feita. No entanto, com tantas opções de canais de comunicação que temos atualmente, como podemos saber a melhor maneira de nos comunicarmos em cada um deles? Ou seja, de que maneira podemos elaborar um conteúdo relevante para cada local onde a nossa audiência se encontra?

Esse será o próximo tema que vamos abordar no nosso especial sobre marketing de conteúdo aqui no blog! Não deixe de acompanhar nossas postagens!

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Início