Dados

Personas x público-alvo: quais são as principais diferenças?

Estratégias de segmentação de público são utilizadas para campanhas mais assertivas

Não é nenhum segredo: quanto melhor você conhecer o seu público, melhor você se envolverá com ele. Quanto melhor você se envolver, mais fortes serão os relacionamentos que você construirá. E quanto mais forte o relacionamento, mais fácil será vender para essas pessoas. Tudo começa com o conhecimento do seu público. No entanto, sabemos que não podemos conhecer cada um dos seus clientes pessoalmente, certo? Por isso, precisamos das personas e do nosso público-alvo para elaborar uma estratégia de marketing assertiva!

Construir uma audiência e personagens que fazem parte dela requer pesquisas, intuição e muita criatividade. Qualquer que seja seu foco, é essencial que a empresa elabore campanhas de marketing que alcancem o público certo e façam com que eles se sintam próximos da marca, além de fazer com que a audiência se lembre da empresa no momento da decisão de compra.

Existem diversas maneiras de entender a sua audiência, e as duas principais são a partir de personas e do público-alvo. Mas afinal, o que são essas duas segmentações? Quais são as principais diferenças entre elas e quais são os benefícios de cada uma?

 

Entendendo seu público-alvo

Público-alvo pode ser entendido como a divisão de um grupo de pessoas determinadas pela empresa como possíveis clientes para o seu negócio. Ou seja, são pessoas que, de certa maneira, tem potencial para consumirem seu produto ou serviço e são elas que a marca deve atingir com as suas campanhas. Esse recorte de pessoas pode ser feito tanto demograficamente quanto de maneira socioeconômica ou comportamental.

Normalmente, esse grupo compartilha de características semelhantes, e são levados em conta fatores como: dados demográficos (idade, localização, sexo, etc), classe social, poder aquisitivo, hábitos de consumo, preferências, desejos e necessidades, entre outras possibilidades. O importante é coletar a maior quantidade possível de informações, para que um perfil em comum possa ser traçado entre essas pessoas e a estratégia elaborada seja a mais assertiva possível.

Mas qual é a importância de ter um público-alvo?

É simples!

Por qual motivo uma loja de carros, por exemplo, teria interesse em vender seus produtos para um jovem de 14 anos? Ou porque uma agência de viagens venderia seus serviços para uma pessoa que não tem interesse em viajar? Nenhum desses anúncios, se direcionados ao público errado, teria efeito e converteria os usuários em clientes da marca! Por isso, é fundamental que a empresa tenha em mente quais pessoas ela deseja impactar com as suas campanhas, para que o seu resultado seja positivo e também proporcione aos usuários uma boa experiência na web.

 

Como definir qual é o seu público-alvo?

Hoje em dia o consumidor está cada vez mais específico e exigente, e por isso, quanto mais segmentado for um grupo de pessoas, melhor! Pode ser, por exemplo, que um anúncio alcance menos pessoas do que antes, mas a qualidade desses leads será melhor e, consequentemente, serão realizadas mais vendas!

Para que seu público-alvo seja escolhido, tenha em mente as seguintes perguntas:

  • Quem eu gostaria de atingir com os meus produtos e serviços?
  • Quais são as principais características em comum dessas pessoas?
  • Porque eles se beneficiariam com a minha marca e porque elas teriam interesse em comprar?

Tenha um foco principal e pense em campanhas que impactem essas pessoas, a partir de suas preferências e hábitos! É importante utilizar critérios demográficos e comportamentais para definir a audiência correta, além das suas características psicológicas e quais estratégias poderiam chamar a sua atenção.

 

O que são as personas?

Ok, já entendemos que ter um público-alvo é essencial para que uma estratégia de marketing seja bem elaborada. Mas o que são as personas e quais são as suas diferenças para o público-alvo? Porque ela deve ser definida?

A persona, diferentemente do público-alvo, é muito mais específica. Trata-se de uma representação individual dos clientes, com suas principais características, desejos e personalidade, mas de maneira única, e não como um grupo de pessoas.

Para que ela seja elaborada, é criado um personagem fictício, com nome, idade, cargo de trabalho, principais hábitos, necessidades, comportamento, desafio, estilo de vida, hábitos de consumo, e todos os detalhes possíveis que possam descrever uma única pessoa. A partir dessa etnografia de pessoas reais, com características reais, uma empresa pode criar diversos perfis de personas com personalidades diferentes, mas que podem ser atingidas pelas campanhas da empresa.

Imagine, por exemplo, uma agência de viagens especializada em intercâmbio para adolescentes. O público-alvo pode ser jovens entre 12 e 17 anos que estão estudando um novo idioma, quando pensamos de uma maneira mais ampla.

No entanto, podemos especificar ainda mais esse público e transformá-lo em uma pessoa real: podemos direcionar uma campanha para André, um estudante de 16 anos, que já está estudando uma segunda língua e, agora que está no segundo ano do ensino médio, está tentando convencer seus pais a passar um tempo fora estudando.

A partir daí, temos uma persona, e não apenas um público-alvo! É claro que a agência de viagens não terá apenas esse perfil de interesse em uma campanha, mas, a partir de uma persona, é possível elaborar uma estratégia direcionada para todos esses jovens com as mesmas necessidades de maneira assertiva.

Quando conhecemos exatamente a pessoa que estamos conversando, podemos entender como se comunicar com ela da melhor maneira, em qual canal encontra-la e, principalmente, que tipo de conteúdo ela gostaria de consumir para uma melhor experiência com a marca.

 

Confira esse vídeo da Rock Content explicando sobre a criação de personas:

 

Como criar uma persona?

Construir personagens requer diversas pesquisas, e por isso é muito importante que a empresa conheça o seu público e saiba quais tipos de pessoas deseja impactar em suas campanhas. Para selecionar as pessoas certas, algumas práticas podem ser adotadas, como por exemplo:

  • Pesquise seu cliente: é fundamental coletar informações demográficas básicas, incluindo sexo, idade, nível de renda, emprego, local e educação. Existem algumas maneiras de obter esse tipo de dado, dependendo de quais recursos você tem acesso. Redes sociais como Facebook, Twitter e Linkedin oferecem dados demográficos básicos, por exemplo. Um orçamento maior, maior tráfego ou uma lista de e-mails pode permitir que você crie pesquisas por e-mail, online, grupos de foco e até mesmo conduza entrevistas com clientes;
  • Procure por tendências: analise os dados e entenda o que eles estão te dizendo, e encontre tendências ou padrões que estejam disponíveis com base neles. Observe pelas mídias sociais quem são as pessoas mais ativas na sua rede e faça uma análise do perfil de todas elas;
  • Transforme os dados em pessoas: transforme todos esses dados coletados em personas de audiência. Dê a cada uma delas seus nomes, cargos, principais necessidades, carreira, entre outros. Forneça a cada pessoa o tipo de informação identificável que pode obter de alguém durante uma breve conversa;
  • Descubra metas: independentemente de serem pessoais ou profissionais, seu público-alvo tem metas e aspirações. Então, entenda o que motiva essas pessoas, quais são as suas principais necessidades e desejos e, olhando para seu produto, quais objetivos ele pode ajudar a pessoa a alcançar;
  • Conheça os pontos de dor: do mesmo jeito que é necessário descobrir os objetivos da sua persona, você também deve conhecer seus pontos fracos e quais barreiras podem impedir com que ela alcance o que deseja

A partir desses passos, é possível criar um perfil de pessoa que a empresa deseja atingir e, dessa maneira, direcionar o conteúdo para ela.

 

Mas afinal, quais são as diferenças entre uma persona e um público-alvo?

Apesar de ambos serem a audiência que uma marca deseja atingir, personas e público-alvo são diferentes. O público-alvo é, de maneira geral, a representação mais ampla de todas as pessoas que serão atingidas pelo seu negócio, enquanto a persona representa uma camada mais individualizada e com necessidades mais específicas.

É importante entender que as duas etapas são essenciais na hora de elaborar uma estratégia de marketing. O primeiro passo que deve ser tomado é a definição do público-alvo, ou seja, do grupo de pessoas que pode se tornar cliente da empresa e que será atingido pelas suas campanhas. Em seguida, fazer um mapeamento mais detalhado dessas pessoas é importante para que a marca possa se comunicar com elas da melhor maneira possível.

 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Início