Dados

Qual é a melhor maneira de utilizar dados de usuários?

Dados demográficos e comportamentais são utilizados para a segmentação de público

Possuir informações sobre seus clientes é essencial para qualquer estratégia de marketing. Para que isso seja possível no meio digital, hoje em dia, existem diversas tecnologias que facilitam a coleta, armazenamento e análise de dados de usuários, para que dessa maneira, a marca possa se comunicar da melhor maneira possível com clientes e possíveis clientes.

Fazer uma segmentação de usuários para definir qual é o seu público-alvo é fundamental, já que nem todos os usuários devem receber um mesmo anúncio da mesma maneira. No entanto, muito além de entender as características demográficas dessas pessoas, é também importante saber o seu perfil socioeconômico, comportamental e cultural.

Podemos, hoje em dia, coletar dados de diversas pessoas sobre qualquer assunto. No entanto, alguns são ainda mais importantes para que uma estratégia seja traçada, como os dados demográficos e comportamentais. Mas qual é a diferença deles? Como funcional e qual a empresa deve utilizar para a sua estratégia?

 

Dados demográficos

Normalmente, esse tipo de dado é coletado por empresas que desejam criar um perfil do usuário desde o momento em que ele acessa o site pela primeira vez, com informações como o nome da pessoa, idade, sexo, localização, escolaridade, estilo de vida, renda familiar, entre outros. Por meio deles, é possível descobrir, por exemplo, o número de pessoas que moram em uma determinada região e podem ser consideradas público-alvo do seu produto.

 

A Dafiti, por exemplo, utiliza a estratégia para pedir informações de gênero dos usuários:

Fonte: E-commerce Brasil

 

Neste caso, pedir esse tipo de informação é relevante para que a empresa possa realizar ofertas personalizadas para seus usuários, de maneira que os anúncios sejam direcionados corretamente para o grupo de interesse.

Mas, afinal, será que coletar dados demográficos é a melhor opção para descobrir esse tipo de informação? Hoje em dia, a resposta já pode ser não!

Imagine, por exemplo, uma loja de roupas sociais masculinas que tem como público-alvo homens de 35 a 55 anos, que morem no estado de São Paulo e tenham uma renda média. Quando agrupamos todos os homens da faixa etária, localização e estilo de vida dessa maneira, temos a impressão de que todos eles teriam o mesmo interesse na loja de roupas.

No entanto, não levamos em conta dados essenciais como as preferências daquela pessoa, hobbies, desejos, necessidades e hábitos de consumo. Por isso, mesmo que uma pessoa se enquadre nos dados demográficos daquela empresa, realizar uma campanha para impactá-la com os seus anúncios pode acabar sendo uma estratégia nada assertiva, e que traga poucos resultados. No caso da loja de roupas sociais masculinas, por exemplo, nem todos os homens da mesma faixa etária poderiam se interessar em compra-las, certo? Então, por qual motivo a empresa deve fazer uma campanha destinada a uma pessoa que não seria um provável cliente?

Levar em conta informações sobre o comportamento das pessoas é fundamental! Muitas vezes, demograficamente, dois usuários online podem parecer iguais, mas seus desejos e hábitos são completamente diferentes. Por isso, mesmo que pedir essas informações seja útil em muitos momentos, é importante que a marca esteja atenta à outras formas de coleta de dados também.

 

E é aqui que entram os dados comportamentais!

Esse tipo de dado vai muito além de informações demográficas de uma pessoa, mas sim, informações sobre suas preferências e principais hábitos de navegação na internet e consumo. Utilizam, por exemplo, dados sobre o engajamento de um usuário com aquele site, seus interesses no momento e em qual etapa se encontra no funil de conversão.

 

Um exemplo citado pelo E-commerce Brasil é a da Zattini, marca que apresentou ao cliente diferentes categorias de produto e, a partir da interação do usuário com cada uma delas, é possível que as campanhas seguintes sejam segmentadas de maneira mais assertiva.

Fonte: E-commerce Brasil

 

Com esse tipo de coleta de dados, é possível entender ainda melhor quem é o seu cliente e como você pode impactá-lo. Voltando ao exemplo de loja de roupas sociais masculinas, por exemplo, com os dados demográficos seria possível definir como público-alvo apenas homens com 35 a 55 anos, de São Paulo e com uma renda média. No entanto, coletando dados comportamentais, além dessas informações, é possível segmentar também o seu público para homens executivos que procuram roupas sociais para eventos de trabalho, por exemplo.

Ao contrário do marketing comum, onde uma mesma mensagem é direcionada para um grande número de pessoas, o marketing baseado em dados comportamentais utiliza mensagens onde pesquisa os gostos dos usuários e se adapta diretamente para ele. Existem diversas estratégias que podem ajudar na hora dessa análise e coleta de dados, como análise na web, aplicações de cookies, navegação e histórico de pesquisa por endereços de IP que criem perfis dos consumidores.

 

Como são feitos e qual é a melhor opção para o seu negócio?

Os dados demográficos são aplicados para entender com melhor clareza o perfil de indivíduos, mas de maneira mais limitada. No entanto, caso seu negócio queira entender apenas dados básicos como idade, sexo e escolaridade do seu público, por exemplo, esse tipo de dado é o mais utilizado para coleta.

Entender a demografia dos clientes é importante também para o geomarketing, além de permitir que a marca entenda características culturais e demográficas para adaptar sua estratégia dependendo da região.

Já os dados comportamentais permitem informações ainda mais detalhadas sobre uma audiência, potencializando as estratégias demográficas. Pode ser empregado, por exemplo, em varejistas online e sites de mídia social, já que um dos seus objetivos é não apenas vender um produto ou serviço, mas criar um relacionamento entre o cliente e a marca.

Para que uma marca realize estratégias com resultados positivos, é sempre importante ter um objetivo a partir da sua campanha e coletar e analisar dados fornecidos por usuários para que, de certa maneira, esses objetivos sejam alcançados. Hoje em dia, o consumidor está cada vez mais exigente e eclético, com diferentes desejos, necessidades e hábitos de consumo. Por isso, é essencial conhecer a sua audiência e segmenta-la da melhor maneira possível.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início