Dados

Vazamento de dados do Facebook foi de 87 milhões de usuários

Cambridge Analytica roubou dados de quase 500 mil brasileiros, segundo novo anúncio do Facebook sobre o assunto

A polêmica do vazamento de dados do Facebook que veio à tona nas últimas semanas já causou grandes prejuízos à empresa, fazendo com que a rede social perdesse a confiança dos seus usuários e questionassem a sua transparência com a privacidade e informações pessoais.

No entanto, a empresa anunciou por meio de um post no Facebook na última quarta-feira (04/04) que a Cambridge Analytica roubou dados de cerca de 87 milhões de usuários – e entre eles, quase 500 mil brasileiros e 2,7 milhões de europeus –, e não 50 milhões, como foi dito anteriormente.

Sheryl Sandberg, chefe de operações do Facebook, afirmou que a companhia não tem ciência de outros casos semelhantes até o momento. “Conforme encontrarmos mais Cambridge Analyticas, vamos continuar a encontrar uma maneira de coloca-las em evidência e garantir que as pessoas saibam sobre elas”, afirmou, em entrevista ao BuzzFeed News.

Na mesma publicação, foi divulgado também os novos termos de serviço e uso de dados, que muda a política de restrição de dados à terceiros.

 

Fonte: Facebook

 

Os novos termos foram explicados em documento oficial, assinado por Erin Egan, vice-presidente de privacidade da empresa e Ashlie Beringer, diretora jurídica. “Temos a responsabilidade de manter as informações das pessoas seguras e protegidas, impondo restrições rigorosas sobre como nossos parceiros podem usar e divulgar dados”, afirmaram. Sobre publicidade, os porta-vozes afirmaram que as pessoas “têm o controle sobre os anúncios que você vê, e nós não compartilhamos suas informações com os anunciantes”.

Além disso será possível também, a partir de agora, comprar e vender itens no Marketplace do Facebook, iniciar uma arrecadação para uma causa que o usuário defende, compartilhar vídeos em Live e 360 e adicionar efeitos criativos nas fotos.

 

Mais mudanças são feitas pelo Facebook

Depois da polêmica do vazamento de dados, diversas mudanças estão sendo anunciadas pela empresa além da política de segurança. Por meio de um relatório do TechCrunch, foi divulgada também uma nova ferramenta para anunciantes confirmarem que obtiveram o consentimento para usar os endereços de e-mail enviados.

As audiências customizadas do Facebook possibilitam que os anunciantes segmentem usuários em sua plataforma, fazendo upload de listas de e-mails, números de telefone e outros dados, além de fazer referências cruzadas aos perfis de usuários.

De acordo com o MarketingLand, a diretora de comunicações corporativas do Facebook, Elizabeth Diana, afirma que a ferramenta de certificação – ou permissão – exigirá que um anunciante e as agências ou qualquer outra entidade que obtenha dados confirmem que os dados third-party de uma audiência customizada foram gerados de forma responsável.

 

A interface de upload do público-alvo personalizado do Facebook não exige que os anunciantes ou agencias confirmem que os dados dos usuários foram adquiridos de maneira correta. Fonte: Marketingland

 

Hoje em dia, os usuários podem conferir em quais listas de anunciantes estão inclusos, visualizando a guia “informações de contato” na seção “anunciantes com os quais você interagiu” da página de configurações de preferências de anúncios. Isso inclui os anunciantes que estão executando campanhas atualmente, com listas personalizadas de audiência. Os usuários podem remover o anunciante da página quando quiserem.

A nova ferramenta está em desenvolvimento, e o processo de como ela vai funcionar ainda está sendo explorado. Sem detalhes como ele funcionará ou qual será o processo, o recurso pode ser tão simples quando uma caixa de seleção para os anunciantes confirmarem que têm permissão para usarem aqueles dados ou pode ser um conjunto mais complexo.

Diana nega que a proteção adicional esteja sendo implementada em resposta ao GDPR (Regulamento Geral de Proteção de Dados), que entrará em vigor na Europa em maio, ou ao escândalo em torno do uso indevido de dados pelo Cambridge Analytica, mas que é uma continuação dos esforços do Facebook para proteger os usuários.

O anúncio segue uma série de atualizações recentes para a plataforma de publicidade desde que as notícias do vazamento de dados foram divulgadas. Em 23 de março, a empresa removeu as estimativas de alcance de público-alvo do público personalizado depois que uma vulnerabilidade foi detectada por pesquisadores externos pela segunda vez, e na outra semana (28/03), a rede comunicou que não disponibilizará mais dados de parceiros para anunciantes.

 

Impactos no mercado

Todos os acontecimentos recentes trazem implicações significativas para os profissionais de marketing. Especificamente, o requisito de certificação de audiências personalizadas pendentes do Facebook é uma indicação clara de que o que acontece é que o ambiente “Wild Wild West” que existe há anos na maior rede social do mundo está chegando ao fim rapidamente.

Mas essa mudança de tendência não é apenas sobre os problemas atuais do Facebook, nem exclusiva da rede. Isso porque o GDPR está entrando em vigor em menos de dois meses, e com ele, os profissionais de marketing serão obrigados a obter o consentimento que o Facebook está pedindo aos profissionais de marketing. Então, mais do que qualquer outra coisa, a atualização de audiências personalizadas do Facebook é apenas mais um lembrete de que o jogo está mudando, e os profissionais de marketing precisam estar preparados se quiserem continuar jogando.

A polêmica trouxe grandes mudanças para o Facebook, já que grandes empresas e pessoas influentes estão deixando de investir em publicidade na rede social, e o movimento com a hashtag #DeleteFacebook ganhou força na internet.

A discussão sobre a transparência sobre a segurança de dados está em evidência, e por isso a empresa está procurando trazer medidas que façam com que os usuários se sintam seguros novamente na rede, como por exemplo a criação de uma página que centraliza as configurações de controle de segurança e privacidade do usuário.

A partir de agora, Mark Zuckerberg terá que esclarecer o papel do Facebook em relação ao uso de dados e privacidade dos usuários no Comitê Judiciário e de Comércio do Senado dos Estados Unidos, que está previsto para acontecer em 10 de abril.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início