Estratégia

Quais são os principais formatos de anúncios e quando utilizá-los?

Confira os principais formatos de anúncios utilizados no ambiente digital hoje para impactar os usuários

Quando falamos em anúncios, hoje em dia, é impossível não pensarmos no ambiente digital. Cada vez mais os consumidores estão presentes no ambiente online, e é fundamental que as empresas entendam o seu público-alvo na internet, seus hábitos, desejos e necessidades para impactá-los corretamente por meio de campanhas digitais.

A proliferação de informações que é comunicada online hoje em dia, evidentemente, mudou a forma como consumimos mídia. As pessoas começaram a questionar a conveniência e a relevância da mídia tradicional de publicidade devido à velocidade de comunicação e o aumento de fontes de informação, que se tornaram cada vez mais essenciais.

Usuários online são muito resistentes à formatos de publicidade intrusivos e, graças à tecnologia de hoje, podem até mesmo ter a possibilidade de bloquear esses anúncios – e sites de publicação – por completo. Esse tornou-se um problema recorrente para o ecossistema de publicidade tradicional, pois esse meio reflete uma interrupção na experiência do usuário. Algumas medidas, como a adoção de softwares de bloqueio de anúncios, foram tomadas e tornaram-se cada vez mais comuns; e alguns usuários deram até mesmo um passo extra ao mostrarem seu descontentamento por meio da blacklist de sites que permitem esses tipos de anúncios disruptivos. Como resultado, as publicações que veiculam publicidade observaram receitas decrescentes de anúncios, e uma adaptação para o consumidor online moderno foi necessária.

No entanto, embora os avanços na tecnologia tenham fortalecido os usuários, eles também capacitaram o setor de publicidade a descobrir inovações para atender às necessidades dos consumidores. Assim, a personalização e a qualidade se tornaram os principais impulsionadores para os anunciantes manterem o interesse de seus usuários. Com maior personalização e qualidade dos anúncios, os publishers teriam a capacidade de servir melhor seus espectadores com conteúdos mais envolventes, e servir melhor a campanha de seus clientes com taxas de resposta mais altas.

 

Mas quais são, afinal, os formatos de anúncios existentes hoje no ambiente digital e que realmente funcionam para o usuário?

É impossível escolhermos, diante de tantas opções, apenas uma publicidade mais adequada para qualquer negócio quando pensamos em marketing digital. No entanto, é necessário que, ao pensar no melhor formato de anúncio, a empresa tenha em mente a sua audiência e qual é a melhor maneira de atingir essas pessoas – de acordo com as suas preferências.

Pensando nisso, listamos, no post de hoje, alguns dos principais formatos de mídia hoje em dia no ambiente digital e como cada uma delas pode impactar o usuário:

1. Display

Anúncios em display, também conhecidos como anúncios em banner, são uma forma de publicidade paga online que normalmente trata-se de uma imagem projetada na qual os espectadores podem clicar para serem levados para a página de destino correspondente. A compra desse espaço publicitário é feita em sites de interesse para o público-alvo de cada empresa, e hoje podem ser exibidos de diferentes maneiras:

  • Banners estáticos: são anúncios em uma página da web que não mudam, e geralmente tratam-se de um quadro único com determinada imagem;
  • Banner interativo: são criados de maneira “animada”, onde uma série de quadros de imagens são reproduzidos em sequência;
  • Texto: são anúncios criados de maneira relevante para o conteúdo ao redor da página;
  • Banners flutuantes: se movem pela tela ou se posicionam acima do conteúdo do site;
  • Wallpaper: aparecem no fundo de um site, preenchendo toda a página;
  • Flashs: são anúncios em movimento que “piscam” conteúdos diferentes conforme são exibidos

Anúncios em rede de display, de maneira geral, podem ser uma ótima opção para empresas que desejam aumentar o tráfego da página e, consequentemente, o reconhecimento da marca.

 

2. Mídias sociais

Pinterest, Instagram, Facebook, LinkedIn e praticamente todos os sites de mídia social oferecem publicidade relativamente barata, já que se trata do tipo de anúncio que se concentra em alcançar o seu público-alvo com o valor ajustado para obter engajamento. A grande vantagem da publicidade nas redes sociais é que ela permite segmentar o público-alvo da melhor maneira possível – o Facebook, por exemplo, possui opções de segmentação de acordo com a idade, região, interesses, histórico educacional, entre outros.

Os dois tipos de anúncios nas redes sociais são:

  • Orgânico: são os anúncios que chegam ao público graças ao algoritmo do site, e não precisam ser pagos para isso. É o tipo de anúncio que gera muito boca-a-boca, além de criar lealdade da marca com o cliente e permitir que a empresa meça o engajamento do público com o seu conteúdo;
  • Pago: utilizado para alavancar postagens promovidas e muito útil no momento de alcançar pessoas específicas.

 

3. Publicidade nativa

Para evitar que os usuários sejam impactados por formatos de anúncios intrusivos e considerados irritantes pelo público, surgiram os anúncios nativos – que tratam-se de propagandas que aparecem no site como se fossem artigos relacionados ao resto do conteúdo, e normalmente estão localizados no final do post ou em lugares estratégicos que não atrapalhem o visitante.

Esse tipo de publicidade oferece relevância, já que é baseada em conteúdo. Em vez de ser um formato invasivo, fornece conteúdo educacional, informativo e divertido, que combina perfeitamente com a aparência do site para aparecer como conteúdo orgânico. Em segundo lugar, esses anúncios oferecem conveniência, já que é condizente com o ambiente editorial em que está inserido. Portanto, esses formatos são totalmente respeitosos com a experiência do usuário.

 

4. Remarketing/retargeting

Imagine a seguinte situação: você entra em uma loja online para procurar por determinado produto, coloca ele no carrinho virtual, mas, por qualquer motivo, acaba não finalizando a compra. Algumas horas depois, ao entrar em outro site, você é impactado por propagandas e ofertas do produto que estava procurando anteriormente.

Porque isso aconteceu? A estratégia, conhecida como retargeting, é possível graças aos cookies do navegador!

Cookies são pequenos pedaços de texto que são baixados em um navegador para rastrear o comportamento online de uma pessoa. Toda vez que entramos em um site, deixamos algumas informações nele que podem ser utilizadas posteriormente para uma estratégia de marketing. Esses dados são capturados e armazenados em pequenos arquivos, os chamados cookies, e são eles que vão permitir uma experiencia de compra personalizada para cada usuário.

A estratégia de remarketing é uma maneira eficaz de voltar a atingir o seu público-alvo que já foi impactado e chamar a sua atenção novamente para os seus produtos e serviços, aumentando as conversões porque lembra as pessoas que já sabem quem você é.

 

5. Anúncios em vídeo

O video marketing é uma estratégia utilizada por empresas que desejam aumentar a atração, retenção e engajamento dos seus consumidores. Nem sempre quando procuramos por determinada informação ou conteúdo na internet, queremos necessariamente ler um texto sobre ele. Muitas vezes queremos algo mais interativo e dinâmico e, por isso, os vídeos estão sendo cada vez mais adotados em estratégias de empresas que desejam oferecer valor, flexibilidade e relevância aos seus consumidores de um jeito diferente.

O crescimento do uso de vídeo marketing é, também, uma estratégia que abre possibilidades ainda maiores em plataformas como o Youtube, mas existem muitos outros formatos e opções de conteúdo em vídeo – que podem ir para o lado educacional ou para o lado informativo, contar uma história visual ou focar no branding, especialmente se houver um produto ou serviço que seja melhor quando demonstrado visualmente.

 

6. E-mail marketing

O e-mail marketing pode ser definido como a comunicação entre uma empresa e seus consumidores por e-mail. Toda informação recebida no e-mail de uma marca, empresa ou serviço, é considerada e-mail marketing.

Antes visto como uma ferramenta de propagandas, hoje se tornou uma maneira eficiente de comunicação, por saber quais mensagens enviar para seus clientes. Profissionais de marketing entenderam a importância de utilizar a ferramenta corretamente de maneira menos invasiva para seus clientes. Dessa maneira, a comunicação com os usuários torna-se muito mais rápida, prática e direta, já que a mensagem está sendo enviada especificamente para aquela pessoa (e é importante que ela sinta isso, não apenas que recebeu uma mensagem enviada para milhares de usuários, como um spam).

O e-mail é uma estratégia de marketing que permite se comunicar de maneira pessoal com os clientes, engajar leads, promover seus conteúdos, nutrir seus clientes de maneira que não queiram “cancelar sua assinatura” e principalmente gerar mais vendas. Todas essas vantagens podem ser alcançadas pelo e-mail marketing se trabalhadas da maneira correta, na construção de um relacionamento com os consumidores.

Uma campanha de sucesso pode vir de diferentes maneiras. É importante entender seu consumidor, suas necessidades e seus interesses para saber de que maneira o e-mail marketing pode oferecer soluções.

 

7. Mobile e anúncios em aplicativos

Estamos vivendo, hoje em dia, em um cenário onde o uso de smartphones está em constante crescimento. Cada vez mais podemos notar que utilizamos o mobile para diversas atividades do dia a dia que antes só eram possíveis com um desktop, e o conceito de “mobile first” nunca fez tanto sentido como agora. A proposta é projetar conteúdo de web primeiramente para dispositivos móveis e somente depois para computadores, fazendo com que sites, plataformas online, e-commerce, entre outros, já nasçam com “a cara da mobilidade” – o que inclui propagandas feitas nesse formato.

Se você possui um smartphone, muito provavelmente os aplicativos de celular possuem um papel fundamental em alguns momentos do seu dia a dia, como por exemplo para procurar informações, conectar com amigos em redes sociais ou até mesmo procurar produtos que você deseja comprar. Por esse motivo, eles também são uma maneira poderosa para que as marcas criem relacionamentos mais profundos com os seus clientes, e o marketing de aplicativos móveis é um canal que pode complementar a experiência off-line de uma marca (ofertas especiais em lojas, por exemplo), direcionar o e-commerce ou simplesmente ajudar um negócio a se comunicar melhor com seus clientes.

 

Mas como estamos consumindo a propaganda hoje em dia, afinal?

O mundo está mudando e a tecnologia está assumindo a liderança. Hoje, tudo está indo para o digital – entretenimento, saúde, imóveis, bancos e diversas outras áreas da nossa vida com as quais estamos diariamente interagindo. Isso significa, portanto, que as empresas também estão migrando para o online com o objetivo de comercializar seus negócios e se aproximarem ainda mais dos seus clientes.

Alcançar com sucesso o público-alvo não se trata mais apenas de exibir anúncios em impressos e na televisão – atualmente, a mídia social é a nova arena de profissionais de marketing digital, já que 3,3 bilhões de pessoas são usuários ativos dessas redes. De acordo com o Google, 91% dos usuários de dispositivos móveis compraram ou planejaram comprar algo depois de verem um anúncio que descreveram como relevante. Ou seja, tornou-se essencial que os profissionais de marketing saibam criar uma variedade maior de anúncios personalizados para a sua audiência.

Por isso, à medida que a publicidade e a mensuração de anúncio se tornam mais sofisticadas, duas coisas são certas: novas tecnologias e canais estão bombardeando consumidores com mensagens, e os consumidores ficam frustrados quando a publicidade é considerada irrelevante, perturbadora ou irritante.

Talvez a maior consequência desses anúncios irritantes seja o fato de contribuírem para o bloqueio de anúncios. Há quem diga dentro da indústria sobre um certo exagero em relação à essa questão, afinal eles são um fenômeno online exclusivo em um mundo onde existem inúmeros formatos de publicidade. Mesmo que o usuário pule anúncios impressos ou silencie anúncios em áudio, ainda existe uma interação inicial. Alguns especialistas, por outro lado, acrescentaram que o problema não é necessariamente o número de pessoas que evitam anúncios, mas o quão alto eles estão gritando.

Felizmente, hoje, a tecnologia, a pesquisa e os insights podem nos ajudar a entender melhor as motivações e o comportamento de compra dos consumidores, permitindo que os anunciantes ofereçam ao seu público o que realmente desejam: não menos publicidade, mas uma melhor publicidade. Ao alavancar o poder dos dados, os profissionais de marketing têm o poder de criar experiências de publicidade realmente agradáveis, orientando-os em suas jornadas de compra.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Início